Literatura

As 100 melhores histórias eróticas da literatura universal – Flávio Moreira da Costa (org.)

Histórias pelo chão

A arte de amar – Ovídio (trecho)

Odeio o coito quando não é mútua / a desvairada entrega dos amantes / (eis por que encontro menos atrativos / no amor praticado com rapazes).

Abomino a mulher que se entregou / apenas porque tem de se entregar / e que nenhum prazer experimentando / frigidamente faz amor pensando / no novelo de lã.

Aborrece-me os frutos recolher / das volúpias que me oferecem por dever.

O dever não me agrada na mulher.

Quero ouvir as palavras que traduzem / a alegria que sente a minha amante / quando me pede para ir mais devagar / e o ímpeto suster.

Quero ver a mulher de olhos rendidos, / exausta mulher que desfalece / e que por muito tempo não consente / que lhe toquem no corpo dorido de prazer.

Ver o post original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s