arte, Cultura, Ficção, Filme, Leitura, Literatura

20 livros que viraram filmes para assistir e se divertir

Os livros que viraram filmes podem ajudá-lo? Pode se aproveitar o tempo livre para assistir filmes instrutivos?

Uma das maiores dificuldades de alguns estudantes é ler alguns livros de literatura. Muitos se desesperam com a demanda de leitura de alguns professores de língua portuguesa e literatura. Quando se inscrevem para as provas do ENEM e do vestibular, sentem-se perdidos.

Infelizmente, alguns estudantes não compreendem a leitura de alguns livros porque seu vocabulário é antigo. Outros não aprenderam a fazer fichamentos corretamente e por isso possuem maior dificuldade.

Muitos professores recomendam assistir ao filme antes de ler o livro para facilitar a compreensão da história. Porém, advertem que é necessário a leitura do livro.

Devemos lembrar que o filme é um reconto do roteirista. O roteirista redige a história, mas tem a liberdade de alterá-la. Podendo não apresentar alguns fatos ou supervalorizar outros. Confira então os principais livros que viraram filmes!

Alguns livros que viram filmes

20-livros-que-viraram-filmes-para-assistir-e-se-divertir

1 – Auto da Compadecida

Este livro de Ariano Suassuna, inspirou o filme que foi lançado em 2000. Contendo como diretor Guel Arraes e roteirista Adriana Falcão, o filme é baseado na peça teatral que possui a característica de comédia dramática. Foi vencedor de grande Prêmio Cinema Brasil como:

  • Melhor diretor: Guel Arraes;
  • Melhor ator: Matheus Nachtergaele;
  • Melhor roteiro;
  • Melhor lançamento.

Também, Guel Arraes ganhou o Prêmio da audiência no “Miami Brazilian Film Festival”. E Matheus Nachtergaele ganhou o prêmio de melhor ator no “Viña del Mar Film Festival”.

2 – Memórias Póstumas de Brás Cubas

Este livro de Machado de Assis, inspirou a produção de dois filmes, o primeiro lançado em 1985 com o nome Brás Cubas, que foi dirigido por Júlio Bressane.

O segundo foi lançado em 2001, uma versão com o nome de Memórias Póstumas, dirigida por André Klotzel. Concorreu ao “Festival de Gramado” recebendo cinco Kikitos de Ouro:

  • Melhor filme escolhido pelo júri e pela crítica;
  • Melhor direção;
  • Melhor roteiro;
  • Melhor atriz coadjuvante sendo a Sônia Braga.

3 – Dom Casmurro

Este livro de Machado de Assis, inspirou a produção lançada em 2003, com a direção de Moacyr Góes. Essa versão realiza uma adaptação do tema central do livro, transformando-a para os nossos dias. A trama perde a temporalidade. Concorreu no “Festival de Gramado em 2003” nas categorias de Longa Metragem em 35 mm, Maria Fernanda Cândido recebeu o premio de melhor atriz.

4 – Quincas Borba

Este livro de Machado de Assis, inspirou uma produção lançada em 1987, que foi dirigida por Roberto Santos. Sendo uma releitura para os tempos atuais deixando algumas características do clássico.

5 – Primo Basílio

Este livro de Eça de Queirós, inspirou a produção do filme que foi lançado em 2007 e dirigido por Daniel Filho. O roteiro de Euclydes Marinho altera a história original, transformando o tema central do livro “a traição” que transcorria em Portugal no século XIX, para a cidade de São Paulo em 1958.

6 – Macunaíma

Este livro de Mário de Andrade, inspirou a produção que foi lançada em 1969. O roteiro desta comédia foi escrito e dirigido por Joaquim Pedro de Andrade. Lembrando que foi considerado pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015.

Concorreu no “Festival de Brasília 1969” vencendo nas categorias de:

  • Melhor ator Grande Otelo;
  • Melhor cenografia e figurinos para Anísio Medeiros;
  • Melhor roteiro para Joaquim Pedro de Andrade;
  • Melhor ator coadjuvante para Jardel Filho.

E também, ganhou como melhor filme no “Festival Internacional de Mar del Plata 1970” na Argentina.

7 – Morte e Vida Severina

Este livro de João Cabral de Melo Neto, retrata a saga do retirante Severino e é recontado na adaptação de Zelito Viana que também dirigiu o filme lançado em 1977. Possui a característica de drama com 85 minutos de duração.

8 – Vidas secas

Este livro de Graciliano Ramos, inspirou o roteirista e diretor Nelson Pereira dos Santos que lançou em 1963, o filme com o gênero drama. Destaca-se que as filmagens foram realizadas nas cidades de Minador do Negrão e Palmeira dos Índios, localizadas no sertão de Alagoas.

9 – São Bernardo

Este romance de Graciliano Ramos, inspirou o roteirista e diretor Leon Hirszman, que produziu o filme com o gênero drama lançado em 1972. O detalhe que se destaca neste filme é que suas cenas foram gravadas na cidade de Viçosa no Estado de Alagoas, onde viveu Graciliano Ramos.

O filme participou de diversos festivais e recebeu alguns prêmios como o de melhor ator para Othon Bastos no Festival de Gramado. No Prêmio Air France de 1973 recebeu os prêmios de: melhor filme; diretor para Leon Hirszman; melhor ator para Othon Bastos e atriz para Isabel Ribeiro.

Também, na Coruja de Ouro os prêmios de melhor diretor e atriz coadjuvante para Vanda Lacerda. Lembrando que foi considerado um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015, pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

10 – Amar, Verbo Intransitivo

O livro de Mário de Andrade foi adaptado por Eduardo Coutinho e Eduardo Escorel tendo o nome de Lição de Amor. Este filme foi lançado em 1975 e dirigido por Eduardo Escorel, foi categorizado como drama e romance.

O filme foi considerado um retrato crítico da sociedade decadente do início do século XX. Pois, mostra um casal aristocrático de São Paulo que contrata uma governanta alemã, com a incumbência de iniciar seu filho sexualmente.

Participou do “Festival de Gramado” em 1976 vencendo nas categorias:

  • Melhor atriz para Lilian Lemmertz;
  • Melhor trilha sonora para Francis Hime;
  • Melhor diretor para Eduardo Escorel.

Também concorreu ao troféu APCA da Associação Paulista de Críticos de Arte e a atriz Irene Ravache ganhou o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante.

11 – Capitães da Areia

Este livro de Jorge Amado, inspirou a neta Cecília Amado a criar um roteiro junto com Hilton Lacerda que foi lançado em 2011. O filme tem como tema principal, a vida de meninos de rua que habitavam na cidade de Salvador.

Supõe-se que foi uma homenagem da neta após dez anos da morte de Jorge Amado. A trilha sonora é realizada por Carlinhos Brown.

12 – O Cortiço

Este livro de Aluísio Azevedo inspirou o roteirista e diretor Francisco Ramalho Júnior, que o lançou em 1978. Este filme reconta o romance naturalista como um drama, que denuncia a exploração e as péssimas condições de vida dos moradores dos cortiços cariocas no final do século XIX.

13 – A Hora da Estrela

A obra romântica de Clarice Lispector inspirou os roteiristas, Suzana Amaral e Alfredo Oroz que lançaram o filme em 1985. A própria Suzana dirigiu o filme que foi enquadrado no gênero drama.

Este filme participou e ganhou alguns prêmios como no Festival de Brasília de 1985:

  • Melhor ator para José Dumont;
  • Melhor atriz para Marcélia Cartaxo;
  • Melhor fotografia para Edgar Moura;
  • Melhor diretor para Suzana Amaral;
  • Melhor edição para Idê Lacreta;
  • Melhor filme.

Também, participou do Festival de Berlim de 1986 e Suzana Amaral ganhou de Prêmio da crítica e Marcélia Cartaxo ganhou o Urso de Prata de melhor atriz. Já no Festival de Havana de 1986, Suzana Amaral ganhou como Melhor diretor.

Lembrando que também foi considerado um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015, pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

14 – O Guarani

Este romance de José de Alencar, inspirou o roteiro de José Joffily Filho que lançou o filme em 1996, sob a direção Norma Bengell. Contendo a trilha sonora de Wagner Tiso.

15 – Incidente em Antares

Este foi o último romance de Érico Veríssimo, abordava o sobrenatural e o fantástico sendo classificado como Realismo Fantástico. Esta obra inspirou os roteiristas Charles Peixoto e Nelson Nadotti a produzir uma minissérie que foi exibida pela Rede Globo em 1994, contendo 12 capítulos, sob a direção geral de Paulo José e Nelson Nadotti.

16 – Cidade de Deus

Este livro foi escrito por Paulo Lins e foi adaptado pelo roteirista Bráulio Mantovani. Este filme de ação lançado em 2002 foi produzido pela O2 Filmes, Globo Filmes e Videofilmes e distribuído por Lumière Brasil.

Concorreu ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2003 e vendeu nas categorias de:

  • Melhor Filme para Globo Filmes, Videofilmes e O2 Filmes;
  • Melhor Diretor para Fernando Meirelles;
  • Melhor Roteiro Adaptado para Bráulio Mantovani;
  • Melhor Fotografia para César Charlone;
  • Melhor Som para Guilherme Ayrosa, Paulo Ricardo Nunes, Alessandro Laroca, Alejandro Quevedo, Carlos Honc, Roland Thai, Rudy Pi e Adam Sawelson;
  • Melhor montagem para Daniel Rezende.

Também recebeu a indicação para o Oscar em 2004 nas categorias de melhor diretor; melhor roteiro adaptado; melhor edição e melhor fotografia.

17 – Lavoura Arcaica

Este romance de Raduan Nassar inspirou o escritor e diretor Luiz Fernando Carvalho a realizar este drama lançado em 2001. Participou de diversos festivais recebendo mais de cinquenta prêmios como:

  • O Festival de Cinema Mundial de Montreal;
  • O Festival do Rio;
  • A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo;
  • O Grande Prêmio BR do Cinema Brasileiro;
  • O Festival de Cinema de Brasília;
  • O Festival de Cinema de Havana;
  • O Festival de Cinema de Cartagena;
  • O Festival Internacional de Cinema de Guadalajara;
  • O Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires, entre outros.

Também entrou para a lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015, pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

18 – Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel

O romance de José de Alencar inspirou os roteirista Carlos Coimbra e Zaé Júnior a realizaram uma adaptação cinematográfica. O filme foi dirigido por Carlos Coimbra e lançado em 1979, porém foi classificado pela censura para maiores de 16 anos. Conta também com as músicas de Vinícius de Morais e Toquinho.

19 – Memórias do Cárcere

Este livro de Graciliano Ramos inspirou o roteirista e diretor Nelson Pereira dos Santos. O drama biográfico que reconta a fase em que o escritor Graciliano Ramos esteve preso sob ordens da polícia do Estado Novo no Brasil, foi lançado em 1984.

Destacamos que a restauração do filme foi patrocinada pela Petrobras, entrou para a lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015, pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Participou dos Festival de Cannes em 1984 e Nelson Pereira dos Santos recebeu o prêmio FIPRESCI. Em 1984 Nelson participou do Festival de Havana recebendo o prêmio Grand Coral.  Já em 1985 Nelson Pereira dos Santos recebeu o troféu APCAt de melhor filme e Carlos Vereza o de melhor ator, da Associação Paulista dos Críticos de Arte.

20 – O Invasor

O livro de Marçal Aquino inspirou os roteiristas Beto Brant e Renato Ciasca. Este drama foi dirigido por Beto Brant e lançado em 2002. Também faz parte da lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos em 2015, pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Participou de diversos festivais sendo premiado nas seguintes categorias:

Sundance Film Festival em 2002 (EUA) como melhor filme latino-americano;

Festival de Brasília venceu:

  • Melhor direção;
  • Melhor trilha sonora;
  • Prêmio da crítica;
  • Prêmio de aquisição do MinC;
  • Prêmio São Saurê (melhor momento do Festival);
  • Prêmio Especial do Júri para ator revelação (Paulo Miklos).

Cine PE – Festival do Audiovisual de 2002 venceu:

  • Melhor filme;
  • Melhor diretor;
  • Melhor fotografia;
  • Melhor trilha sonora;
  • Melhor ator para Marco Ricca;
  • Melhor atriz coadjuvante para Mariana Ximenes.

Grande Prêmio BR do Cinema Brasileiro de 2003 venceu:

  • Melhor ator coadjuvante para Paulo Miklos;
  • Melhor atriz coadjuvante para Mariana Ximenes;
  • Melhor trilha sonora.

Troféu APCA de 2003 venceu como melhor filme.

Boa leitura!

Fonte: Canal do Ensino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s