Quando comecei a gostar de livros

Quando comecei a ler, vocês já sabem o que vocês não sabem é que me apaixonei pelos  livros mesmo antes de saber o significado das palavras. Há muitos anos em uma noite de inverno descobri que os livros eram tapetes mágicos que me levavam a viajar pelo mundo…

il_570xN.626973795_dd8b.jpg1

Lendo, eu deixava de ser a menina pobre e sozinha que era e me tornava a viajante do mundo. Há muito tempo atrás, eu estava sentada no chão da imensa sala e como sempre minha mãe não estava em casa, no terreiro só o nosso cão latindo de vez enquanto. Num dos quartos do “nosso” casarão meus avós postiços, dona Antoninha, seu Herculano e o pobre Jorge, sempre gritando pela mãe dele. Às vezes eu me perguntava se um dia ficaria chamando pela minha mãe assim como ele… nossas mães sempre estavam ausentes…

EPSON scanner image

Enfim, lá estava eu folheando figuras. Era um livro, folhas de brilhantes coloridas. Nas suas muitas páginas alguém colocara figuras de bichos, crianças e montanhas. Não sei quem o fez. Só sei que quem o fez gostava de crianças, principalmente daquelas que ficavam sempre sozinhas…

EPSON scanner image

Lembro-me que passava horas olhando aquelas figuras e não me cansava de vê-las de novo, todos os dias. Certo dia, um dos namorados da minha mãe ou da minha tia, me deu outro livro que me deixou encantava, era “As mil e uma noites“. Começava assim minha vida de leitora: “Os livros com figuras coloridas e brilhantes…”.

EPSON scanner image

Outra coisa que vocês não sabem é que os três idosos além de serem meus avós postiços, eram meus companheiros inseparáveis, as pessoas diziam que eles eram caducos, eu não sei, mas eles falam sozinhos… Até ai, tudo bem, eu também falava sozinha quando não tinha ninguém por perto, alias hoje já me peguei falando sozinha rs…

EPSON scanner image

Eu sempre fui uma menina solitária, tive muitos irmãos, mas uns foram adotados e outros morreram e por um bom tempo ficou eu e minha mãe, ou melhor, eu comigo mesma.

tumblr_oxxoa1YR1c1vs5lx8o1_500.jpg1

Nessa época, minha tia arrumou um emprego para a minha mãe, ela iria cuidar de três idosos em uma chácara, foi assim que conheci meus queridos avós postiços; foi ai que comecei a ouvi  as estórias que eles adoravam contar, mas que ninguém queria ouvi, para mim foi o paraíso… Foi à fase mais feliz da minha vida, eu tinha os livros cheios de figuras coloridas e avós dispostos à conta a mesmas estórias mil vezes!

investigação criminal

Assim de tanto ouvir as estórias que eles contavam para mim, acabei por sabê-lo de cor, as guardava na memória e no coração. É sabido que aquilo que o coração ama não é jamais esquecido. E eles contavam para mim repetidas vezes à mesma estória, é que eles tinham uma doença que os fazia se lembrar do passado e o seu Herculano se lembrava de muitos livros que tinha lido.

EPSON scanner image

Tempos depois acabei lendo quase todos os livros que eles lerão, muitos clássico inclusive, pena eles não saberem que li lembrando-se deles na cadeira de balanço ou na porta da sala… Vovô Herculano sempre sorria suavemente contando suas estórias, e eu sentada no chão da varanda ouvindo encantadas as leituras “virtuais” na mente dele. Às vezes era a dona Antoninha que contava, o Jorge quase não tinha estória, só da mãe dele…mas eu gostava assim mesmo.

jorge

Eles tinham memórias maravilhosas, suas estórias me faziam viajar e fugir da fúria de minha mãe… Acho que ela não gostava de crianças ou talvez não tivesse nascido para ser mãe, sabe Deus, o fato é que ela sempre achava um jeito de me castigar… mas isso é uma outra história e eu não quero falar sobre isso…quero falar só dos livros que eu amava que estava na mente daqueles três e eram muitos livros…

EPSON scanner image

A chácara, os três velhinhos, nossos cachorros eram o meu paraíso, a minha maior felicidade. Com outros adultos era sempre vigiando: “Não mexa aí, não faça isso, não faça aquilo, vai apanhar, vai para o quarto, vai ficar trancada…“ com eles (meus livros falantes), eu estava longe dos adultos. Eu podia ser eu mesma.

EPSON scanner image

A chácara sem os adultos era o espaço da minha liberdade, era o espaço da minha felicidade. As árvores eram minhas melhores amigas, além deles. A jabuticabeira, com seus frutinhos pretos, os abacateiros e tantas outras.

520-001

Hoje me pergunto onde foram parar os livros da minha infância? E eu mesma respondo, eles continuam abertos dentro de mim, da minha memória, do meu coração…

IMG_1990-001.jpg

Eles, meus queridos avos postiços foram meus primeiros livros e ficaram gravados no meu coração, foi quando comecei a gostar de livros… Com amor vovó Antoninha, vovô Herculano e vovô Jorge…

 

 

Anúncios